reforço positivo para encorajar e estimular os filhos

Como usar a técnica do reforço positivo para encorajar e estimular os filhos

  • Castigo
  • Bronca
  • Ameaças
  • Brigas
  • Birras
  • Gritos
  • Mordidas
  • Choro sem fim
  • Estresse
  • Mães que passam nervoso, falam infinitamente para que o filho obedeça ou faça algo
  • E tantas outras situações que testam todos os limites

Este cenário lhe parece familiar?

Se você, ao ler as afirmações citadas acima, se identificou e até fez sim com a cabeça para cada uma delas ou para a maioria delas, bem vinda ao universo desafiador de se educar um filho que em alguma fase da vida vai gerar conflito com alguma situação.

O post de hoje é uma abordagem sobre uma das técnicas comportamentais que é utilizada na área educacional: o reforço positivo.

Sem a pretensão de mergulhar na área acadêmica ou esmiuçar o assunto sob o foco psicológico (até porque este não é o objetivo principal do texto, e acredito que para tanto se faz necessário a presença de um profissional ou especialista desta área), quero trazer um panorama do que funcionou aqui em casa, e assim compartilhar com vocês o que deu certo.

E  preparei uma surpresinha que vai ser um curinga na hora de colocar tudo em prática.

Então te convido a acompanhar o post até o fim.

O conceito de reforço positivo consiste em recompensar um comportamento desejado.

É uma ferramenta que aumenta a probabilidade da criança em fazer algo sempre que lhe foi requisitado (ou até com maior frequência do que o habitual).

Eu descobri o reforço positivo como aliado na educação da Melissa, minha filha, quando ela entrou na fase contestadora de não querer seguir uma ordem, de não atender a pedidos simples.

E vou dividir com vocês como tudo começou:

O pedido da vez era tomar banho com o plus de lavar o cabelo.

O desenrolar da história foi um drama digno de novela mexicana:

  • Beatriz (a mãe): Melissa vamos lá tomar banho?
  • Melissa (a filha): Daqui a pouco
  • Mãe: [Olho o relógio, penso que cada minuto conta, afinal vai atrasar todo o esqueminha de arrumar para a escola, secar os cabelos, dar almoço, eu ir tomar o meu banho.

E a bomba relógio é disparada internamente] Melissa, vamos?

  • Filha: Mais dois minutinhos. Mas hoje é dia de lavar o cabelo?
  • Mãe: [um tom de voz acima do normal] Sim Melissa, fazem 2 dias que lavamos o cabelo. Podemos ir? Vai indo pro banheiro que eu vou pegar a toalha.

[Pego a toalha, aproveito e já confiro se deixei uniforme preparado, tudo ok, entro no banheiro] MELISSA

[Melissa continua sentada na sala, entretida na prancheta e canetas, desenhando e o tic tac da bomba relógio anunciando a contagem regressiva, inevitavelmente grito e começo a me descontrolar dando uma lista de motivos para ela sair dali naquele segundo e se enfiar no banheiro]

  • Filha: eu odeio tomar banho, eu odeio lavar o cabelo [fecha a cara, fecha o tempo, quase posso escutar os raios e trovões no céu que fica nublado].
  • Mãe: [a bomba em mim explode, a voz normal já foi para as cucuias e estou praticamente arrastando a criança para dentro do box]
  • Filha: [entra chorando no box, grita, diz que sou a pior mãe do mundo e afins e demora uns 10 minutos para acalmar e assim finalmente, aceitar o banho]
  • Mãe: [exausta, culpada, nervosa, continua dando sermão até a filha acalmar e se sente realmente a tal pior do mundo e não entende porque a filha faz um circo por causa de um simples banho]

E fim (bom até o próximo capítulo, pois infelizmente não acabou ali).

Depois de muito repeteco com a história banho e outras mais que surgiram no dia a dia, decidi procurar uma forma de reverter este quadro negativo de descontrole, tanto meu, quanto dela.

E queria fugir daquela fórmula pronta: fez malcriação, devo puni-la.

Castigo só funcionou no começo (afinal a menina aqui é ligeira e nem ligava mais para o fato de ficar 1 semana sem algo que ela gostava, por exemplo).

E nas minhas andanças e fuçadas da internet, descobri que era possível e plausível usar o reforço como forma de perdurar um comportamento, positivamente (e não negativamente como eu fazia, tirando algo dela).

Como usar a técnica do reforço positivo para encorajar e estimular os filhos

  • Elogie e enalteça o comportamento quando realizado

A melhor forma de propiciar com que a criança adquira o hábito de realizar uma atividade ou obedecer determinada ordem é parabenizá-la quando ela conclui com eficácia o mesmo.

Seja bem específico com as palavras e expressões. Não economize, faz um bem danado para a auto estima dos pequenos.

Exemplos: Eu sabia que você ia conseguir! Parabéns por ter feito isto! Gostei de ver você guardando seu material, seus brinquedos!

  • Abrace, beije e sorria para seu filho

Nada melhor que devolver amor e afeto quando uma situação se direciona para o esperado.

Se o seu filho concluiu uma tarefa, além de usar as palavras, devolva carinho para que ele entenda o quão importante foi ele chegar ao resultado final.

E serve também no momento de crise, não adianta nada a gente se descabelar e descontar as frustrações do conflito, porque só piora.

  • Reforço material (use com inteligência)

A recompensa é uma forma de premiar.

Pode ser ao prover uma atividade, um passeio que a criança ama ou presenteá-la com um brinquedo, com um prato de comida favorito.

Mas vale lembrar que a recompensa não é sinônimo de suborno. Ou seja, você coibir a criança de forma que ela interrompa determinado comportamento para que ela consiga o que ela queira e assim, você achar que encerrou a situação.

E falando em como trabalhar o reforço positivo dentro do seu lar, aqui está a surpresinha prometida:

Quadros de Reforço Positivo

Assim como os quadros que criei para incentivar e ajudar no desfralde, os quadros de reforço positivo estão voltados totalmente para a criança e foram pensados para agradar meninos e meninas.

Para cada gênero, foram criados dois tipos de quadros, assim disponibilizando 4 modelos para seus filhos.

Para as meninas

Tema Princesinhas

Tema Bailarina

Para os meninos

Tema Heróis

Tema Futebol

Os quadros foram elaborados nos formato A4, e pensados na praticidade de você poder imprimir em casa mesmo.

Para baixá-los é só clicar no link, e quando a imagem carregar, clique com o botão direito do mouse e selecione a opção Salvar imagem como…

Como usar os quadros

Na disposição de cada quadro existe um campo para o preenchimento do nome da criança.

Em seguida, é apresentada uma tabela com os dias da semana e 5 campos em branco (representados pelas figurinhas do tema) para relacionar as atividades que você julga precisarem de um incentivo para serem desempenhadas pelo seu filho.

O último campo é o da recompensa, que você combinará com seu pequeno ou pequena, como conquista da tabela.

Assim cada quadro pode ser usado por um período semanal. E fica a seu critério estender isto.

Caso você sinta a necessidade de estender, imprima mais cópias.

Como os quadros são exclusividade do blog Pitadinhas Maternas, fica expressamente proibida a venda ou que se retire os créditos das imagens.

Caso você use os quadros e queira compartilhar comigo como foi, se deu certo, se foram úteis, use os comentários abaixo ou as redes sociais do Pitadinhas.

 

 

Compartilhe este texto com mais pessoas

Comentários via Facebook

comentários

One thought to “Como usar a técnica do reforço positivo para encorajar e estimular os filhos”

  1. Bia, adorei seu post!!!! O uso do quadro por aqui foi muito eficaz também, mas por períodos curtos, ou seja, depois que a dupla se acostumava com determinadas “recompensas” deixava de ser interessante, então uso e depois de um booooom tempo volto com o quadro. Excelente seu post 😘

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *